EUA: parlamentares querem atacar injustiças

Compartilhar

Embora o presidente norte-americano, Joe Biden, tenha apresentado o mais ousado plano de recuperação econômica e social das últimas décadas, a ala mais progressista do Partido Democrata quer ir além. O projeto de lei, batizado de THRIVE, apresentado ontem (29), prevê investimento de 1 trilhão de dólares por ano durante 10 anos.

A meta é atacar a mudança climática, a pandemia, a injustiça racial e a desigualdade. O projeto tem grande importância política, assim como teve projeto Green New Deal, o Novo Acordo Verde, ao criar pressão para influenciar que o próprio plano do presidente tenha maior abrangência e direcionamento mais efetivo às comunidades mais vulneráveis.

Matéria publicada originalmente pelo site Truthout, traduzida por Cesar Locatelli, para a Inédita Brasil.

Progressistas apresentam enorme projeto de lei sobre o clima que rivaliza com plano de infraestrutura de Biden

Traduzida por Cesar Locatelli

Os progressistas apresentaram, na quinta-feira (29), um projeto de lei sobre clima e empregos de US$ 10 trilhões que reduziria as emissões, reconstruiria a infraestrutura e abordaria a justiça ambiental na próxima década. O projeto de lei rivaliza com o projeto de lei de infraestrutura do presidente Joe Biden, que exige um investimento muito menor.

Enquanto o projeto de lei de Biden exige um investimento de US$ 2 trilhões em infraestrutura na próxima década, o projeto de lei Transform, Heal and Renew by Investing in a Vibrant Economy (THRIVE) [Transformar, Curar e Renovar pelo Investimento em uma Economia Vibrante] exige US$ 1 trilhão por ano durante 10 anos para investimentos em infraestrutura, empregos e iniciativas para contenção das mudanças climáticas. A proposta está sendo liderada pelo senador Ed Markey (Democrata de Massachusetts) e pela deputada Debbie Dingell (Democrata de Michigan) e pretende reduzir as emissões climáticas pela metade até 2030 e está centrada em torno de mudanças que tragam equidade.

Destacando os impactos econômicos da pandemia de coronavírus e do Plano Norte-Americano de Resgate, Dingell disse em uma chamada de imprensa organizada pela Green New Deal Network: “[Como a nação está] saindo do período de  resgate para o de recuperação, estamos trabalhando juntos para promover bons empregos sindicalizados, equidade racial e ação climática”.

“A pandemia acendeu uma luz sobre as rachaduras da nossa sociedade. Isso colocou um fardo sobre as comunidades vulneráveis”, disse Dingell. “É por isso que precisamos de um plano de renovação econômica ousado, e a Lei THRIVE é exatamente o que precisamos.”

“A crise climática está aqui. Está aqui! Não é uma questão futura.” Afirmou o deputado Jason Crow (Democrata do Colorado), um dos patrocinadores do projeto de lei, destacando incêndios florestais em seu estado e problemas de saúde pública devido à poluição do ar. “A coisa mais custosa que nossa nação já fez foi não estar pronta para essa pandemia. Então temos que fazer a coisa certa e fazer investimentos agora para estar preparados para salvar vidas” e enfrentar a crise climática, disse Crow.

Um dos principais focos do projeto de lei é a criação de empregos – um relatório de março da Universidade de Massachusetts Amherst descobriu que a Lei THRIVE criaria cerca de 15,5 milhões de empregos por ano. A lei estipula que os empregos devem ser de alta qualidade, com pelo menos um salário de 15 dólares por hora e com benefícios como licença remunerada para tratar de questões familiares e de saúde.

“Sindicatos e ambientalistas se uniram e estão trabalhando juntos para garantir que reconstruamos a economia do nosso país com foco na justiça e na cura”, disse Dingell.

O projeto de lei também garante que grupos historicamente oprimidos estejam na linha de frente da transição para uma nação mais verde, criando um conselho de 20 membros de comunidades da linha de frente, sindicatos e nações indígenas para ajudar a orientar onde os investimentos devem ser feitos. Cinquenta por cento dos investimentos do projeto de lei, estipula o projeto, devem ir para as comunidades da linha de frente, que sofrem mais com os impactos climáticos.

“Os formuladores de políticas não podem ignorar as realidades que estão enfrentando milhões de famílias não brancas, indígenas, imigrantes e trabalhadoras em todos os Estados Unidos. As quatro crises que a nação enfrenta estão literalmente nos matando. Elas são a mudança climática, a pandemia de saúde pública, a injustiça racial e a desigualdade econômica”, disse Markey na chamada à imprensa. “Não podemos derrotar nenhuma dessas crises de forma isolada. Devemos desenvolver um roteiro de recuperação que atenda a todos eles.”

O projeto de lei presta cuidados particulares aos indígenas, e exige que o governo respeite as nações indígenas nos investimentos apresentados pelo projeto de lei. Ele tenta garantir que as comunidades nativas sejam consultadas e seu consentimento buscado antes que coisas como oleodutos sejam construídas em território indígena.

A Agenda THRIVE e a correspondente Lei THRIVE foram originalmente apresentadas pelo ex-deputada Deb Haaland (Democrata do Novo México), que agora atua como primeira Secretária do Interior Indígena, e que há muito tem sido uma defensora dos direitos e da soberania indígena. Pesquisas do instituto Data for Progress no ano passado mostraram que os pilares da Agenda THRIVE, incluindo investimento em infraestrutura verde e reconhecimento da soberania nativa, são populares – a agenda ganhou mais de 100 copatrocinadores desde que a Haaland a apresentou.

A Lei  Thrive também conta com o apoio de democratas como o senador Jeff Merkley (Oregon), as deputadas Ilhan Omar, (Minnesota) e Pramila Jayapal (Washington) e o deputado Ro Khanna (Califórnia). Embora tenha pouca esperança de ser aprovado em lei, elementos do projeto de lei podem acabar sendo incorporados ao plano de infraestrutura de Biden, assim como partes do projeto de lei do Green New Deal foram abraçadas por ele.

Derrick Davis, um membro da Coalizão de Novos Empregos da Virgínia Ocidental, pendura a sinalização durante uma reunião comunitária e feira de empregos enquanto os moradores do estado tomam medidas para um pacote de infraestrutura e pedem ao Congresso para aprovar a Lei THRIVE em 8 de abril de 2021, em Charleston, Virgínia Ocidental. Foto por Emilee Chinn / Getty Images para Green New Deal Network.

De: Truthout

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *