Medalha Tiradentes para Carolina Maria de Jesus aprovada

Compartilhar

Maior honraria do estado para a escritora é iniciativa da deputada estadual Mônica Francisco

A mandata da deputada Mônica Francisco (Psol) aprovou, nesta quinta-feira (01/07), no Plenário da Alerj, a concessão da Medalha Tiradentes post mortem, a maior comenda do Estado do Rio de Janeiro e seu respectivo diploma à doutora Carolina Maria de Jesus. A parlamentar destaca que, a agora doutora, Carolina foi uma mulher negra, mãe solo, catadora de papéis que enfrentou o racismo e a falta de oportunidades que as mulheres e a maioria da população negra enfrentam no Brasil.

“A história Carolina de Jesus se parece com a de muitas mulheres negras de territórios favelados, inclusive com a minha. Carolina enfrentou toda a luta pela sobrevivência e ainda colocou no papel, tornando-se uma das principais autoras negras brasileiras. Doutora Carolina Maria de Jesus merece todas as homenagens e reconhecimentos”, declarou Mônica que é cria da favela do Borel, foi trabalhadora doméstica e lia os jornais do lixo das casas onde trabalhava. “Eu lia o Jornal do Brasil, tinha colunistas que adorava e eu recortava os textos e guardava. Nunca imaginei que um dia me tornaria colunista da publicação de 2013 a 2017 escrevendo para a seção ‘Comunidade em Pauta’. A população mais pobre precisa ter os direitos à educação e à leitura garantidos”, afirmou.

Perfil Carolina Maria de Jesus

Carolina Maria de Jesus trabalhava como catadora de papel e, nas horas vagas, registrava o seu cotidiano em cadernos que encontrava no material que recolhia. Mais tarde esse diário, “Quarto de Despejo”, tornou-se um best-seller. Além de ‘Quarto de Despejo: diário de uma favelada’, Carolina escreveu ‘Casa de alvenaria’, ‘Diário de Bitita’ e ‘Meu estranho diário’.

Carolina Maria de Jesus segue sendo inspiração através do legado literário que nos deixou. Como cita no seu livro mais conhecido: “A democracia está perdendo os seus adeptos. No nosso país tudo está enfraquecendo. O dinheiro é fraco. A democracia é fraca e os políticos fraquíssimos. E tudo que está fraco, morre um dia. Os políticos sabem que eu sou poeta. E que o poeta enfrenta a morte quando vê o seu povo oprimido.”

Título de doutora

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) concedeu o Título de doutor Honoris Causa, por unanimidade e aclamação, causa a escritora Carolina Maria de Jesus por reconhecer sua importância para a literatura brasileira e por inspirar muitas outras que vieram depois dela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *