Bolsonaro: um presidente sem escolhas

Compartilhar

Trechos e links de 10 veículos de imprensa pelo mundo revelam um presidente acuado por perda de popularidade, por investigações criminais contra si e seu círculo, por pesquisas desfavoráveis

1 Comícios pró-Bolsonaro podem ser o prelúdio de tentativa de tomada oportunista do poder, dizem os críticos

Os críticos veem na retórica do líder, que sente o declínio nas pesquisas e as crescentes contestações legais, um paralelo com o do ex-presidente Donald J. Trump.

Por Flávia Milhorance e Ernesto Londoño

RIO DE JANEIRO – Cercado pela queda nas pesquisas, economia em crise e investigações judiciais, o presidente Jair Bolsonaro convocou grandes protestos em todo o país na terça-feira, Dia da Independência do Brasil, que os críticos temem ser um prelúdio para uma tentativa de tomada oportunista do poder.

Nos últimos dias, o presidente tomou este momento como um ponto de inflexão, de vida ou morte para seu movimento político, pedindo à considerável minoria do eleitorado que o apoia que tome as ruas.

“Tenho três alternativas no futuro: ser preso, ser morto ou vitória”, disse Bolsonaro a seus partidários na semana passada, referindo-se às eleições presidenciais do próximo ano, cujas pesquisas mostram que ele perderia de forma esmagadora se a votação fosse realizada hoje.

(The New York Times, EUA) – nyti.ms/3h7hsAT

***

2 Brasil nervoso enquanto apoiadores do Bolsonaro marcham sobre o Congresso

A polícia está presente em grande número na capital do Brasil, Brasília, onde partidários do presidente de extrema direita Jair Bolsonaro responderam a seus apelos de manifestação.

Policiais extras foram enviados para proteger a Suprema Corte, após advertências de que os partidários de Bolsonaro poderiam tentar invadir o prédio.

Isso ocorre depois que o presidente acusou a Suprema Corte e o Congresso de bloquear suas reformas.

Os críticos dizem que ele quer dar uma demonstração de força em meio à queda na preferência dos eleitores.

Uma pesquisa de opinião recente deu ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva uma vantagem de nove pontos percentuais sobre Bolsonaro no primeiro turno.

(BBC News, Inglaterra) – bbc.in/3DYtPsT

***

3 Bolsonaro, do Brasil, reúne seus seguidores contra os tribunais em uma grande manifestação

Por Associated Press

BRASÍLIA, Brasil (AP) – O presidente Jair Bolsonaro foi recebido com entusiasmo por dezenas de milhares de pessoas reunidas na capital na terça-feira em uma demonstração do Dia da Independência de apoio ao líder de direita envolvido em uma disputa com o Supremo Tribunal Federal.

Bolsonaro, em discurso inaudível para muita gente longe dos alto-falantes, atacou o tribunal superior e disse que a nação não pode mais aceitar o que ele caracterizou como prisões políticas – uma referência às prisões ordenadas pelo ministro Alexandre de Moraes. Ele alertou que o tribunal poderia “sofrer o que não queremos”.

(NPR, EUA) – n.pr/38Nna6x

***

4 Apoiadores do Bolsonaro enfrentam polícia antes de grande comício em Brasília

A violência irrompe enquanto ativistas de direita tentam romper o bloqueio e forçar seu caminho para o Congresso

Escaramuças antes do amanhecer estouraram entre a polícia e partidários do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, enquanto ativistas de direita tentavam forçar seu caminho para o Congresso antes de grandes comícios pró-governo que colocam a maior democracia da América Latina no limite.

Imagens publicadas pelo site de notícias de Brasília Metrópoles mostraram policiais militares usando spray de pimenta para repelir uma multidão de bolsonaristas na madrugada desta terça-feira.

Policiais podem ser vistos lutando com um manifestante enquanto o grupo tentava romper o bloqueio policial na avenida que leva ao Congresso usando caminhões com as bandeiras amarelas e verdes do Brasil.

(The Guardian, Inglaterra) – bit.ly/3l1isYz

***

5 Comícios a favor e contra Bolsonaro no dia nacional do Brasil

Manifestantes contra Jair Bolsonaro no dia da Independência do Brasil [Douglas Shineidr/AFP]

Milhares convergiram para as cidades brasileiras para manifestações pró e anti Bolsonaro no Dia da Independência.

Dezenas de milhares de manifestantes inundaram as ruas no Brasil em uma demonstração de apoio no Dia da Independência ao presidente Jair Bolsonaro, que está travando uma batalha política total com instituições incluindo o Supremo Tribunal Federal.

Os manifestantes antiBolsonaro também se reuniram para grandes manifestações em cidades de todo o país na terça-feira, tornando as festividades do dia nacional anual um evento de alto risco, com pouco mais de um ano para ir às eleições que atualmente colocam o presidente de extrema direita no caminho da derrotta.

Bolsonaro, cuja popularidade está no nível mais baixo de todos os tempos, está tentando motivar sua base e mostrar sua força política em face de uma economia em declínio, aumento do desemprego e inflação e uma série de investigações dirigidas a ele e seu círculo íntimo.

(Al Jazeera, Catar) – bit.ly/2X7qyqy

***

6 Brasil: Bolsonaro promete à multidão de apoiadores “uma nova história”

Por Agence France Presse

Brasília – Em Brasília, São Paulo ou Rio, dezenas de milhares de manifestantes saíram às ruas nesta terça-feira, a convite do presidente Jair Bolsonaro, que prometeu escrever “uma nova história” para o Brasil.

O presidente de extrema direita queria fazer do feriado nacional de 7 de setembro uma demonstração de força, convocando “multidões gigantes” para lhe dar seu apoio em meio a uma crise institucional.

Engajado em um impasse com a Suprema Corte que abriu várias investigações contra ele, o presidente de extrema direita, sem escolhas e dado como perdedor na eleição de 2022, jogou todas suas fichas nesta terça-feira.

Este atípico Dia da Independência começou em Brasília com mais de 5.000 policiais por todos os cantos. Bolsonaro sobrevoou a enorme Esplanada dos Ministérios em um helicóptero antes de discursarengar para a grande multidão que o saudou com gritos de “Mito, Mito!”

(L’ Express) – bit.ly/3hb1WUU

***

7 No Brasil, feriado nacional e eventos de alto risco

Estão previstas reuniões de apoio em todo o país na terça-feira, mas também contra o presidente, Jair Bolsonaro, que prometeu que multidões “gigantescas” viriam para apoiá-lo

Le Monde com Agence France Presse

O resultado que terá o Dia da Independência no Brasil este ano é totalmente imprevisível. O presidente, Jair Bolsonaro, que é empurrado pelas pesquisas para remobilizar sua base, prometeu que multidões “gigantescas” viriam para apoiá-lo, por ocasião do feriado nacional, terça-feira, 7 de setembro.

Mas seus adversários também sairão às ruas para gritar “Fora Bolsonaro! preocupados com as ameaças à democracia pelo presidente de extrema direita, que abriu uma grave crise institucional ao declarar guerra ao Supremo Tribunal Federal.

(Le Monde, França) – bit.ly/3BLSPlm

***

8 Bolsonaro ameaça juízes e avisa que protestos são ultimato aos poderes no Brasil

“Não mais aceitaremos que o Supremo ou qualquer autoridade usando a força do poder passe por cima da nossa Constituição”, atirou o presidente brasileiro

As manifestações incentivadas por Bolsonaro foram convocadas há quase dois meses num contexto de fortes tensões entre o chefe de Estado e o Supremo Tribunal Federal e o Congresso, instituições que o governante e parte da extrema-direita acusam de atuar como “partidos de oposição” contra o Governo.

Além disto, a popularidade do presidente brasileiro está em queda devido à pandemia, à crise económica e às constantes declarações polémicas feitas.

Nas últimas semanas, o presidente brasileiro provocou instabilidade institucional ao fazer duras críticas à Justiça, que investiga o chefe de Estado por supostas irregularidades no combate à pandemia de covid-19 e por difundir notícias falsas sobre a transparência e fiabilidade do sistema eleitoral brasileiro.

(Diário de Notícias, Portugal) – bit.ly/3kVCHXG

***

9 Democracia brasileira em suspense

Marchas no Brasil: Bolsonaro ameaçou a Suprema Corte novamente

Jair Bolsonaro aproveitou a mobilização de seus seguidores para atacar mais uma vez o Supremo Tribunal Federal, que investiga extremistas por falsas notícias e ameaças à democracia. “Ou o chefe desse poder enquadra um dos juízes da corte ou esse poder pode sofrer o que não queremos que aconteça”, ameaçou.

Em meio a massivas mobilizações pró-governo, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, mais uma vez ameaçou as instituições democráticas, especificamente o Supremo Tribunal de Justiça, por dar luz verde a investigações contra ele por campanhas de notícias falsas e por repetidas ameaças à democracia .

“Não podemos aceitar mais prisões políticas no nosso Brasil. Ou o chefe desse poder (o Tribunal) enquadra os seus ou esse poder pode sofrer o que não queremos “, disse Bolsonaro a seus seguidores em uma clara mensagem de golpe.

(Página 12, Argentina) – bit.ly/38Nwfwd

***

10 Bolsonaro ameaça retaliar a Suprema Corte do Brasil em uma mobilização massiva

O presidente do Brasil reitera seus ataques à separação de poderes na marcha de Brasília antes de viajar a São Paulo para mais uma manifestação neste Dia da Independência

O dia 7 de setembro, 199º aniversário da independência do Brasil de Portugal, é o dia escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro para dar uma demonstração de força nas ruas. Com o patriotismo e a liberdade como bandeiras, o ultradireitista convocou seus fiéis a tomarem as ruas de Brasília e São Paulo. O objetivo final da mobilização é angariar apoio popular para o embate que mantém contra o Judiciário e o ataque sistemático à divisão de poderes e tentar reverter as pesquisas, que refletem uma popularidade em declínio em meio à crise econômica e seca grave.

Bolsonaro chega ao protesto de Brasília com a faixa presidencial e com estilo, a bordo de um Rolls Royce dirigido pelo ex-piloto de Fórmula 1 Nelson Piquet. Seu discurso, em tom messiânico e diante de uma multidão, incluiu uma ameaça de golpe aos juízes da Suprema Corte que o investigam por espalhar notícias falsas: “Ou o chefe desse poder (o Judiciário) enquadra (o juiz que preside o caso) ou esse poder pode sofrer o que não queremos”, proclamou na Praça dos Três Poderes, o coração da democracia brasileira . “Hoje é o dia do povo brasileiro, que vai nos dar um direcionamento, para onde o Brasil deve ir. Hoje só quero ser seu porta-voz ”, disse. A rejeição do presidente nas pesquisas nunca foi tão alta como agora.

(El País, Espanha) – bit.ly/3jQuNiY

De: César Locatelli / Carta Maior

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *